Archive for the ‘Estruturas’ Category

Documentário “The Bowen Bridge”

Fevereiro 6, 2009

Reabilitação de um Reservatório de Água pela Sotecnisol

Dezembro 7, 2008

“A crescente necessidade de preservar as estruturas em boas condições de operacionalidade tem despertado o interesse no campo da reabilitação.

Cada vez mais os diferentes tipos de estrutura ganham importância nas nossas vidas. Sabemos que todo é efémero, com o seu tempo e duração. Desta forma a reabilitação de estruturas tem vindo a ganhar um lugar relevante no ramo da construção, de tal modo que suscita a investigação e o desenvolvimento de novas técnicas e equipamentos.” retirado artigo Sotecnisol anexo

Neste post apresentamos um artigo da Sotecnisol sobre uma obra de reabilitação de um reservatórios de armazenamento de água potável. “Esta obra consistia numa reabilitação estrutural, do depósito de água construído na década de 80 e composto por elementos de betão armado. Do depósito fazem parte as paredes envolventes superior – situada acima da viga; e inferior – parede inclinada abaixo da viga; e a restante estrutura que suporta o reservatório (pilares e viga de coroamento).” (retirado do artigo)

Fonte: Nuno Hipólito (Marketing Sotecnisol)

Revista Arquitectura&Aço

Setembro 13, 2008

Apresentamos neste post mais uma revista dedicada ao aço. Nesta revista brasileira, podemos encontrar algumas das mais importantes estruturas de aço que existem no Brasil. Clique nos links abaixo para aceder ao seu conteúdo.

Construção Metálica – Revista

Setembro 13, 2008

A Associação Brasileira da Construção Metálica (ABCEM) é uma sociedade civil sem fins lucrativos que foi fundada em 10 de Setembro de 1974, e congrega nacionalmente os fabricantes de estruturas e de coberturas metálicas de aço, as empresas de galvanização a fogo, e escritórios de arquitectura e projecto de engenharia. Entre os patronos da Associação estão as principais fabricas de siderurgias e fornecedores de parafusos e fixadores, de software, de máquinas e equipamentos.

A ABCEM publica uma revista designada “Construção Metálica“, que disponibiliza gratuitamente para download na internet desde 2005.

Tornados e tempestades fazem pelo menos 55 mortos nos EUA

Fevereiro 8, 2008

tornados.jpg

Lamenta-se sempre a perda de uma vida humana, tanto mais em condições que, numa primeira análise, podiam ser em boa parte evitadas de igual forma quando ocorre um sismo no nosso país, devido às construções possuírem estruturas (quando os regulamentos são bem aplicados) capazes de absorver os esforços decorrentes das acções geradas por estes fenómenos naturais.

Todos nós conhecemos bem o já antigo e consagrado R.S.A. que classifica as acções e dá uma preciosa ajuda na sua quantificação, sejam elas permanentes, variáveis ou acidentais. Por exemplo, o maior vendaval que ocorreu nos últimos 50 anos insere-se na classe das acções variáveis. De aplicação obrigatória em qualquer exercício de cálculo estrutural em engenharia civil, com base num tratamento estatístico, e de acordo com a zona onde se insere, a estrutura a dimensionar leva em linha de conta a possibilidade de ocorrerem estes fenómenos, diminuindo os riscos na sua utilização e prevenindo acontecimentos trágicos como os que periodicamente sucedem nos EUA, no caso, os tornados.

(more…)

Reforço de pilares de secção rectangular

Janeiro 20, 2008

“Num dos nossos mais recentes trabalhos, vimo-nos forçados a reforçar um pilar cuja secção transversal, em planta, assume uma forma rectangular cuja relação entre lados é de 3 para 1. Impossibilitados de recorrer, por restrições de espaço, ao aumento de secção, houve que proceder ao confinamento da peça.

Tendo optado por escolher tecidos de fibras de carbono de baixo módulo impregnados “in situ” como elemento de cintagem e sabedores de que a eficácia da acção confinante é restrita, para este tipo de secção, criou-se a oportunidade para que aplicássemos, na prática, o bom resultado dos estudos realizados pelo Prof. Wang, na Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, que implica a clara demarcação de núcleos (três, no caso) pela introdução de varões passantes regularmente espaçados, como se pode observar nas figuras a seguir reproduzidas.

Ao que nos é dado conhecer, esta foi a primeira actuação desta técnica em Portugal.” Texto retirado do site LEB- Projectistas, Designers e Consultores em Reabilitação de Construções

Programa Nacional de Barragens

Dezembro 10, 2007

Governo aprova Programa Nacional de Barragens para a construção de 10 barragens

O governo aprovou hoje a versão final do Programa Nacional de Barragens, mantendo a opção de construir as 10 barragens inicialmente anunciadas e prevendo o início dos trabalhos em Foz Tua dentro de um ano.

As barragens aprovadas depois de concluído o processo de consulta pública são: Foz Tua, no rio Tua, Vidago, no rio Tâmega, e Pinhosão, no rio Vouga, Padroselos, Daivões, Gouvães, Fridão, Girabolhos, Alvito e Almourol. (more…)

Ponte encerrada devido a problema no tabuleiro

Novembro 21, 2007

A ponte rodo-ferroviária de Praia do Ribatejo, em Constância, está encerrada desde a noite de terça-feira depois de ter sido detectada uma anomalia à passagem de um comboio.

A ponte que liga Constância a Vila Nova da Barquinha foi interdidata terça-feira à noite, depois de o tabuleiro se ter deslocado cerca de 20 centímetros aquando da passagem de um comboio.

As más condições da ponte já tinham sido detectadas pela Estradas de Portugal, sendo que há cerca de ano e meio que a circulação de pesados estava condicionada.

Agora, a ponte foi fechada por falta de segurança e, enquanto não houver uma solução, as alternativas vão causar muito transtorno, conforme explicou à TSF o presidente da Câmara de Constância, António Mendes.

«As pessoas terão que utilizar a ponte de Chamusca, que também está em obras, o que significa mais 60 quilómetros de percurso, ou por Abrantes, ou seja, mais 40 quilómetros», disse.

Entretanto, o presidente da Estradas de Portugal adiantou que vai já a caminho de Constância uma equipa de técnicos para observar as condições de segurança da ponte.

Fonte:TSF

Puente tuneado ganha ao vento

Novembro 2, 2007

Alguma da história da ponte e como se parou o fenómeno que se pode ver no vídeo: Hoy Digital.

Construção Metálica – Artigos Técnicos

Outubro 20, 2007
  • Comparando o dimensionamento de perfis I com o Método dos Estados Limites (LRFD) e das Tensões Admissíveis (ASD) de acordo com a AISC 2005 e a proposta de revisão da NBR 8800 - Leia aqui o artigo na íntegra.
  • Análise de projeto de torres metálicas treliçadas autoportantes, utilizando software de perfis tubulares de açoLeia aqui o artigo na íntegra.
  • Estudo do comportamento em incêndio real da estrutura de aço em perfis formados a frio de um edifício residencial - Leia aqui o artigo na íntegra.
  • Estudo comparativo do comportamento térmico de quatro sistemas de cobertura. Um estudo experimental para reação frente ao calorLeia aqui o artigo na íntegra.

Fonte: Associação Brasileira de Construção Metálica

Aeroporto do Porto ganha prémio de construção em aço

Outubro 18, 2007

Terminal de passageiros foi galardoado com o prémio da Convenção Europeia para Construções em Aço

aeroporto francisco sá carneiro portoO terminal de passageiros do Aeroporto Sá Carneiro, no Porto, foi galardoado com o prémio da Convenção Europeia para Construções em Aço para a melhor obra portuguesa em aço, informa a agência Lusa.

Os prémios da European Convention for Constructional Steelwork (ECCS) são entregues de dois em dois anos, com o objectivo de encorajar a utilização criativa do aço e a inovação na arquitectura da construção metálica.

Justificando a decisão, o júri internacional considerou que «através do emprego de grandes estruturas trianguladas, que vencem 80 metros em vão, este terminal aeroportuário combina a transparência com ligeireza de estrutura, apropriadas a este tipo de edificações».

«A concepção global e os detalhes cuidadosamente estudados proporcionam um ambiente de harmonia e de equilíbrio, tanto na percepção exterior do edifício, como no ambiente interior», considerou ainda o júri.
Os prémios foram atribuídos nos planos da concepção e projecto ao dono da obra, a ANA – Aeroportos de Portugal, SA, ao arquitecto responsável pelo projecto, João Carlos Ferreira, ao engenheiro de estruturas Tiago Abecassis (TALPROJECTO) e ao construtor da estrutura metálica, a Martifer, Construções Metalomecânicas, SA.

Fonte: Portugal Diário

Projecto OPS – Organic Prestressing System

Outubro 17, 2007

Novo sistema de construção de pontes 20% mais barato

O projecto piloto OPS foi apresentado na FEUP. Baseia-se na estrutura do corpo humano e promete trazer muitas vantagens.

ops project

O auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) estava quase cheio para acolher a apresentação do projecto-piloto para construção de pontes. Responsáveis da faculdade e da Mota-Engil, empresa co-responsável pelo projecto, falaram aos presentes.

No final, muitos quiseram dar pessoalmente os parabéns a Pedro Pacheco, responsável pelo projecto. Em declarações aos jornalistas, o professor disse acreditar que o projecto vai conseguir entrar nos mercados internacionais. “Não vai ser fácil, mas estamos preparados. E como as vantagens são muito significativas, acho que os mercados internacionais não vão resistir”, afirmou.

Estrutura mais leve, segura e barata

A esperança de Pedro Pacheco fundamenta-se nas vantagens do projecto piloto: “A estrutura é muito mais leve, mais segura, mais fácil de transportar e mais barata”. O responsável pelo projecto fala numa redução dos custos na ordem dos 20% e acrescenta que em estruturas maiores “o benefício cresce quase exponencialmente”.

O sistema OPS (“Organic Prestressing System“) baseia-se na estrutura do sistema muscular humano.

“Estamos a usar o sistema no processo construtivo. Existe uma estrutura que custa muito dinheiro. Através do OPS conseguimos optimizar essa estrutura usando um músculo artificial”, diz Pedro Pacheco.

O professor explica como funciona o músculo artificial. “É feito de autómato, de cabos, de um macaco hidráulico e de sensores. Funciona como o corpo humano. Os sensores sentem a deformação, como os nervos, informam o cérebro que é um autómato. O autómato dá instruções ao actuador, que é o músculo, estica os cabos, que são os tendões, e compensa a deformação”.

O OPS é único em Portugal e no mundo. Pedro Pacheco afirma que as únicas desvantagens do sistema se prendem com “a resistência natural que as pessoas têm à inovação”.

No entanto, o engenheiro acredita no sucesso do projecto e espera que “ajude a criar confiança” nas capacidades dos portugueses.

O sistema OPS está já a ser implementado no cimbre da ponte do Rio Sousa, em Lousada. O projecto destina-se a estruturas de pequeno e médio porte.

Mais informação em:

Sísmica 2007

Setembro 5, 2007

Habitualmente, só se fala em sismos quando eles ocorrem e causam danos às populações ou aos edifícios. Por isso, a prevenção é fundamental e, nesse sentido, a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) promove, entre os próximos dias 26 e 28 de Setembro, a sétima edição do “Congresso Nacional de Sismologia e Engenharia Sísmica – Sísmica 2007”, em colaboração com a Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica.

À volta deste tema, que será debatido no Auditório, vão estar alguns dos melhores especialistas nacionais e internacionais na matéria, que terão por base a implementação da nova regulamentação europeia (Eurocódigo 8 ) no âmbito da acção sísmica.

(more…)

Ponte Móvel no Porto de Leixões

Julho 31, 2007

A ponte móvel de Leixões abriu ao trânsito no passado dia 30 de Julho, uma obra que requereu um investimento de 14 milhões de euros. A estrutura, com um vão de 92 metros, constitui-se como a quarta maior ponte basculante do mundo, e permite agora o alargamento simultâneo do canal navegável de 59 para 77,5 metros, uma medida que representa um aumento significativo da capacidade do Porto de Leixões.

foto ponte leixões

A construção da nova ponte torna assim possível a entrada de navios de maiores dimensões no porto, sendo que a sua leveza e o inovador sistema hidráulico facilitam a sua abertura e fecho, o que permite melhorar o tráfego e reduzir significativamente o tempo de espera entre as duas margens do Rio Leça.
A ponte representa ainda uma maior comodidade para o trânsito pedonal, bem como uma maior fluidez do tráfego rodoviário e a possibilidade de atravessamento de um Minibus.

Ponte basculante do porto de Leixões

A obra está integrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento do Porto de Leixões, um projecto de melhoria das acessibilidades marítimas, que tem por objectivo aumentar significativamente a capacidade de resposta e competitividade do porto.

Algumas Fotos

Resistência dos Materiais e das Estruturas

Julho 10, 2007

Alguns apontamentos de resistência dos materiais e das estruturas, nomeadamente  vigas, pilares, pórticos e arcos.

Edgar Cardoso, Engenheiro das Pontes

Julho 5, 2007

É rara uma relação tão profunda entre o criador e a sua obra como a existente entre Edgar Cardoso e as Pontes que projectou. Uma marca indelével que as congrega, únicas na forma e resistentes aos confrontos com o tempo.

Autor de renome mundial que consagrou a engenharia portuguesa pela vanguarda e originalidade que imprimiu nos estudos e projectos realizados, onde conseguiu sempre associar a dimensão estética. Tal como ele próprio afirmou: “A perfeição técnica de uma obra de Engenharia tem sempre reflexo na sua qualidade estética. A simplicidade e a justeza com que foi concebida comandam o grau de emoção que desperta naqueles que a contemplam.”

Em Portugal, Edgar Cardoso é o Engenheiro das Pontes e marcou profundamente a Engenharia portuguesa.

Nasceu no Porto em 1913 e formou-se em Engenharia Civil na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1937. Em Janeiro de 1938 ingressou na Junta Autónoma de Estradas como Engenheiro Civil de 3a Classe onde permaneceu até 1951, ano em que foi nomeado Professor Catedrático do Instituto Superior Técnico após defender com grande brilhantismo o seu trabalho de tese intitulado “Alguns Métodos de Cálculo Experimental. Sua Aplicação ao Estudo de Pontes”.

Mas foi como projectista de Pontes que se notabilizou, tendo realizado cerca de meio milhar de estudos e projectos não só em Portugal, como em Angola, Brasil, Macau, China, Moçambique, Timor, Guiné, Venezuela e índia. Além do reafirmado orgulho em ser português, prestigiou e sempre defendeu a Engenharia Portuguesa, colocando-a ao nível do que melhor se praticava nos países mais avançados e em muitos casos sendo pioneira. Em Engenharia Civil os portugueses nada devem aos outros povos ditos civilizados, afirmava.

Os vãos dos arcos demarcaram uma parte significativa da sua obra, mas foi a diversidade de tipologias na concepção das pontes o cunho fundamental dos projectos que delineou. Nos arcos de grande vão de betão armado, como na ponte da Arrábida e nos pórticos de betão armado pré-esforçado, como na ponte ferroviária de S. João, atingiram-se recordes mundiais na época. Em pontes de tirantes, – como nesta ponte da Figueira da Foz, a primeira grande ponte de tirantes portuguesa -, em pontes suspensas sem viga de rigidez, como na ponte do Zambeze, em todas, Edgar Cardoso foi um manancial de singularidade na evolução da engenharia de estruturas, fruto do seu engenho, capacidade inventiva e prazer do risco.

Com assinalável dedicação ao serviço público projectou algumas das nossas melhores obras de Engenharia da segunda metade do século XX e as suas intervenções na paisagem e no ambiente urbano traduziram-se sempre em resultados que não só qualificaram mas, na maioria dos casos, passaram a constituir verdadeiros ex-libris das cidades e das paisagens. “Nunca faço uma ponte igual a outra. Cada obra é sempre uma procura de novas soluções”.

  • Clique para Ver o Resto da Entrada (more…)

Reabilitação Estrutural de Paredes Antigas de Alvenaria

Julho 4, 2007

A existência de estruturas de alvenaria antigas está difundida por toda a Europa, em centros históricos e urbanos, em diferentes tipos de estruturas (como torres, edifícios, igrejas, campanários, arcos, muros, fortes, muralhas, etc.) em elementos estruturais como arcos, abóbadas, colunas, paredes, etc. O valor patrimonial, cultural e arquitectónico que representam fez com que a conservação e reabilitação destes elementos estruturais seja, hoje em dia, de grande interesse para quem os tutela.
Recentemente, tem-se assistido à preservação das paredes exteriores dos edifícios antigos, em profundas intervenções que podem considerar-se no limiar mínimo da conservação do património arquitectónico não-monumental.

Para o efeito contribuem as naturais dificuldades de reparação dos edifícios antigos, em parte inerentes ao domínio ainda limitado que se possui das técnicas e dos materiais envolvidos. Em zonas urbanas, estas intervenções são, frequentemente, motivadas por rentáveis programas de utilização subjacentes à pressão das especulações imobiliárias, mais do que pelo estado de degradação exibido. Parece assim justifi cada a imprescindível necessidade de receber uma formação séria, regrada e metodológica no campo da conservação.

Three Gorge – A Barragem das Três Gargantas

Maio 25, 2007

A Maior Barragem do Mundo

” A Barragem das Três Gargantas (Three Gorge) é a maior central hidroeléctrica do mundo, construída no Rio Yangtzé, o maior da China. A obra foi concluída em 20 de maio de 2006, seis meses antes do prazo previsto. Foi aplicado um rígido controlo de qualidade, para garantir que a obra não tenha nenhum risco na sua futura operação. A obra das Três Gargantas tem como função a prevenção de enchentes, a geração de energia e aumentar a facilidade do transporte fluvial, e por isso ela desempenha um papel importante no desenvolvimento sócio-económico da China.

 

sad

 

A construção da Barragem das Três Gargantas foi iniciada em 1993, e até fins de 2004, quatro turbinas entraram em funcionamento. Em 2009, com 26 turbinas instaladas, a capacidade da barragem deverá ser de 18.200 megawatts, e ultrapassará a potência de Itaipu (Brasil), até então a maior barragem hidroeléctrica em potência instalada no mundo. O descarregador está projectado para 116110 m³/s e vai ser, junto com o da Central Hidroeléctrica de Tucuruí, no rio Tocantins, o maior do mundo em vazão.” (Wikipédia, 2007)

asdsss

Entre todas as medidas para garantir a qualidade da obra, o mais importante é a instituição supervisora independente. Xu Chunyun, engenheiro que trabalha numa entidade de supervisão disse: “Colocamos no máximo 293 supervisores no estaleiro da obra, que trabalham 24 horas por dia, assegurando que há sempre um supervisor acompanhando o processo de construção.” Além disso, há quatro auditoras chinesas de prestígio trabalhando no sector, e outras empresas estrangeiras, entre elas a Electricite de France, o Bureau Veritas e a Empresa Spie, também da França e a empresa Americana Harza.

 

adssad

A barragem que controlará uma área da drenagem de 1 milhão km², com um caudal anual médio de 451 biliões de m³. O vale aberto no local da barragem, com granito duro e completo como o bedrock, forneceu as circunstâncias topográficas e geológicas favoráveis para a construção da barragem.

Embora o reservatório não seja o que tem a maior capacidade do mundo, sua capacidade reserva de controlo da inundação pode ajudar cortar o pico da inundação em um caudal de 27.000 a 33.000 m3/s, o maor para um projecto do conservação de água no mundo. A barragem é capaz de impedir inundações ocorridas a cada 100 anos. Assim 15 milhão pessoas e 1.5 milhão hectares da terra na planície de Jianghan são aliviados das ameaças da inundação.

A Construção

asdadadads

A construção do corpo principal do complexo do reservatório da água de Three Gorge inclui o seguinte trabalho:

  • escavação da rocha e terra com um volume 102.83 milhões m³;
  • colocação de betão com volume de 27.94 milhão m³;
  • reenchimento da rocha e terra com um volume de 31.98 milhão m³;
  • instalação da estrutura de metal com o peso de 256500 toneladas;
  • instalação de vinte e seis do unidades geradores de energia com 700 MW (não incluindo as seis unidades 700MW na central geradora no subterrâneo do banco direito sob a construção).
(Excepto o índice do reenchimento da rocha-e-terra, todos os índices precedentes são os mais grandes entre os projectos de barragens que estão construídos ou sob construção).

sdasdadsa

A Barragem

A barragem é do tipo de gravidade em betão, feita de 14.86 milhões de m³ de betão, a maior quantidade alguma vez utilizada no mundo na construção de uma barragem.

A “Doca” dos Barcos

asd

Os seguintes índices são os maiores no mundo: a altura total de água é 113 m, o transporte do navio faz-se em 5 estágios, como se pode ver na figura em cima. Dimensão da uma câmara: 280 m×34 m×5 m (profundidade mínima da água do × largura × comprimento no peitoril), câmara de transbordo do navio na barragem com capacidade para acomodar as frotas com 10000 toneladas, com uma quantidade máxima de água no acto de carga/descarga de 260000 m³.

 

sda

Trabalhos com Metal

Os trabalhos com metal aumentam o peso até aproximadamente 256500 toneladas, e no projecto incluem:

 

  • 386 portas de vários tipos;
  • 139 guindastes de vários tipos;
  • 26 represas.

Os seguintes índices são também os maiores no mundo:

 

  • o diâmetro interno da represa com 12.4 m;
  • da altura máxima de uma porta da câmara de fechamento do navio com 38.25 m;
  • peso da única porta de 850 toneladas.

asda

Mais informações da construção:

Outras Informações:

asddadasdad

Barragem de Hoover

Maio 23, 2007

A Barragem de Hoover, está situada no Black Canion, no rio Colorado na fronteira entre o estado de Nevada e Arizona, a 48 Km a sudeste de Las Vegas, Estados Unidos da América. É uma barragem de betão armado de arco de gravidade, tem uma altura de 221 m (726 pés) e uma largura de 379 m (1.244 pés), sendo uma das maiores barragens do mundo. Construída entre 1931 e 1936 (tendo ficado terminada dois anos antes do previsto) pelo U.S. Bureau of Reclamation, a empreitada foi entregue a seis empresas, foi-lhe posteriormente atribuído o nome do Presidente Herbert Hoover que teve uma papel fundamental na sua construção, primeiro como Secretário do Comércio e depois como Presidente dos Estados Unidos.

hoover

  • Período de construção: 20 de Abril de 1931 – 1 de Março de 1936
  • Custo da construção: 165 milhões de dólares
  • Altura da barragem: 221,4 m (726.4 pés), segunda barragem mais alta nos Estados Unidos.
  • Espessura da barragem: 200 m (660 pés) na sua base; 15 m (45 pés) na sua crista.
  • Betão: 3,33 milhões m³
  • Tráfego sobre a barragem: 13.000 até 16.000 pessoas cada dia, segundo o Federal Highway Administration.A área do lago Mead: 640 km² (247 milhas quadradas).
  • Volume de água do lago Mead: aproximadamente 35,2 km³.

hoover 2

Reabilitação e reforço do cais entre Santa Apolónia e o Jardim do Tabaco

Maio 10, 2007

A primeira fase da empreitada de reabilitação e reforço do cais entre Santa Apolónia e o Jardim do Tabaco, no valor de 14 milhões de euros, foi consignada, no passado mês de Abril, ao consórcio formado pelas empresas Somague e SETH – Sociedade de Empreitadas e Trabalhos Hidráulicos.

A construção do Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia está dividida em três fases e representa um investimento global de 45 milhões de euros, que conta com uma comparticipação comunitária de 40 por cento. Adjudicada pela Administração do Porto de Lisboa, esta primeira empreitada, no valor de 14 milhões de euros, diz respeito aos trabalhos de reabilitação do actual cais entre o Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia e a Doca da Marinha, bem como à construção de uma nova estrutura avançada, permitindo maiores fundos, adequados à acostagem dos actuais navios de cruzeiros.

Segundo a SETH, os trabalhos da empreitada implicam a dragagem geral da bacia de manobra e estacionamento, o melhoramento dos solos de fundação mediante a execução de colunas de brita, bem como a reconstrução dos prismas de enrocamento e dos aterros no tardoz do cais existente. Está ainda previsto o reforço do maciço da estrutura do cais existente com execução de selagem de fendas, bem como a execução dos maciços de encabeçamento das estacas, colocação das pré-vigas, montagem das pré-lajes e betonagem complementar.

Com um prazo de execução de 12 meses, a empreitada inclui ainda a construção de um novo cais em betão sobre estacas metálicas, com 200 metros de comprimento e uma largura variável entre os 33 e os 46 metros.

Os trabalhos de infra-estruturas técnicas e apetrechamentos dos cais compreendem a execução das redes de abastecimento de água, electricidade e drenagem de águas pluviais, bem como a ligação às águas existentes.

santa-apolonia.jpg

Dados de Contracto:

  • Reabilitação do cais existente:
  • Dragagens de construção;
  • Melhoramento dos solos de fundação mediante execução de colunas de brita;
  • Execução de prisma de enrocamento no paramento exterior do cais existente;
  • Reconstrução dos prismas de enrocamento e dos aterros no tardoz do cais existente;
  • Reforço do maciço da superstrutura do cais existente com execução de pregagens e selagem de fendas;
  • Construção da nova estrutura:
  • Construção de um novo cais do tipo estacada de betão armado, com 200 m de comprimento e largura variável entre 33 m e 46 m;
  • Infra-estruturas técnicas e apetrechamento dos cais:
  • Execução de redes de abastecimento de água, de iluminação e de drenagem de águas pluviais;
  • Instalação de cabeços de amarração, defensas, escadas de emergência e argolas no novo cais;
  • Dragagem da bacia de manobra e acostagem.

A empreitada envolve o fornecimento e colocação de cerca de 60 000 m3 de enrocamento, a execução de 13 900 m de colunas de brita, a construção de cerca de 6800 m de estacas de betão e a execução de uma estrutura com a utilização de cerca de 5200 m3 de betão

  • Fonte: Portal do Governo

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 162 outros seguidores