Túnel do Rossio – Parte II

by

O Projecto do Túnel

tunel rossio 3 O projecto realizado consiste genericamente numa intervenção estrutural nas zonas degradadas do Túnel por construção de uma secção fechada em betão armado no seu interior, numa extensão de 1 283 metros, mantendo o actual gabarito de circulação. Na restante extensão, considerada em bom estado de conservação será realizada uma limpeza do material desagregado do actual sustimento em cerca de 5 cm de profundidade, procedendo-se em seguida à aplicação de uma argamassa projectada de igual espessura.

O projecto prevê também a construção em toda a extensão de 2 613 metros do Túnel, de uma plataforma de via contínua em betão, onde são embebidos directamente os carris, viabilizando um acesso rodoviário em caso de necessidade, constituindo, igualmente, um elemento de rigidez importante para a estabilidade estrutural do Túnel.

Serão ainda instalados equipamentos de segurança modernos, nomeadamente de prevenção e combate de incêndios, um sistema de monitorização automático com transmissão de dados à distância permitindo o controlo permanente e medição em tempo real das condições estruturais do Túnel, sistemas de ventilação e desenfumagem verticais e longitudinais, câmaras de vídeo vigilância e uma saída de emergência vertical situada sensivelmente a meio do Túnel.(Clique para ler o resto do post)

O Plano de trabalhos das obras de reabilitação do Túnel do Rossio, inclui as seguintes actividades:

 

  • Trabalhos de escoramento em locais referenciados do Túnel, com aplicação de cambotas metálicas; levantamento de caleiras , remoção de cabos eléctricos e de telecomunicações , e montagem de tubagens complementares de apoio aos trabalhos.
  • Demolição e escavação em vários locais referenciados do Túnel; à execução do Suporte Primário da Abóbada e Hasteais, que incluem operações de pregagens com fibra de vidro, pregagens tipo Swellex, geodrenos, betão projectado, aplicação de cambotas metálicas, enfilagens e execução de microestacas.
  • Execução do trabalho envolvente para a escapatória da saída de emergência, sensivelmente a meio do Túnel, que também continuará a servir de poço de ventilação na zona da rua do Vale do Pereiro.

tunel rossio escavação tunel rossio cambotas

Para esta empreitada a REFER presta uma enorme atenção no cumprimento da execução física do projecto, mas também no que diz respeito à área de segurança passiva e activa, de forma a permitir a circulação de pessoas e equipamentos dentro do Túnel, assim como no que se refere a aspectos ambientais e de qualidade, nomeadamente com a instrumentação para monitorização do ar e ruído no interior e exterior do Túnel e avaliação de vibrações e danos estruturais, através de vistorias, em edifícios na zona de influência do mesmo.

O Projecto de Intervenção e Reabilitação do Túnel do Rossio, considera duas zonas com características distintas, que condicionaram o tipo de intervenções preconizado para a obra:

  1. Zona do Rossio (Pk 0+194 ao Pk 0+700) – Caracterizada por pequeno recobrimento, zona densamente urbanizada e com patologias acentuadas (zona velha da cidade), atravessando terrenos brandos constituídos por argilas e areolas.

  2. Zona de Campolide (Pk 0+700 até km 2+807) – Caracterizada por recobrimentos mais elevados, com valor máximo de 60m, zona com menores interferências, atravessada por terrenos de melhores características geomecânicas constituídos sobretudo por calcários e margas do cretácico.

Tendo presente esta constatação, foram concebidos e dimensionados suportes e revestimentos definitivos com características que se adaptassem bem às condições existentes e possibilitassem a aplicação dum processo construtivo seguro relativamente ao túnel e às interferências.

Desta forma foram estabelecidas três fases no processo construtivo:

  1. Colocação de escoramento provisório
  2. Houve que encontrar uma metodologia que permitisse executar a obra em condições de segurança e limitasse ao mínimo as deformações do maciço e os danos nas construções existentes sobre o túnel. A opção recaiu sobre a aplicação de chapéus de enfilagens, no contorno exterior do suporte primário de betão projectado, suficientemente rígidos para impedir as deformações do terreno envolvente. As operações de instalação das enfilagens exigindo perfurações e injecções atrás do revestimento de alvenaria, obrigaram à instalação dum escoramento do revestimento existente durante as fases de perfuração, injecção e escavação da nova secção.

  3. Suporte primário
  4. O principal critério seguido na definição dos suportes primários baseia-se na necessidade de garantir a segurança da obra e limitar ao mínimo as deformações do maciço envolvente, e consequentemente reduzir os assentamentos à superfície. As características dos suportes foram adaptadas às condições de cada troço de túnel, de modo a fazer face às condições geotécnicas, à espessura do recobrimento e às interferências localizadas sobre o túnel, dentro do princípio da racionalização da sua aplicação. Tendo em conta as zonas atrás apresentadas procurou definir-se para cada zona um dado tipo de suporte, com características bem adaptadas às condições existentes. Para tal usou-se uma combinação de materiais composta por cambotas metálicas, tubos metálicos nas enfilagens, betão projectado, pregagens metálicas injectadas e de atrito e pregagens de fibra de vidro injectadas.

Gestão Ambiental da Obra

Conscientes dos impactes associados à sua actividade e à percepção de todas as partes interessadas, a REFER, E.P. adoptou como referencial para a sistematização dos potenciais impactes ambientais da sua actividade, o referencial ISO para Sistemas de Gestão Ambiental, Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização – ISO 14001.

Assim, o Acompanhamento Ambiental para a obra de Reabilitação do Túnel do Rossio segue a norma NP EN ISO 14001:2004. Em conformidade com o ponto 4.5.1, desta norma, os Planos de Monitorização e Medição em curso são os relativos aos descritores ambientais, ruído, águas e resíduos.

Túnel do Rossio – Parte I

Nota (o texto foi transcrito de um documento em formato digital que pode consultar aqui)

Advertisements

Uma resposta to “Túnel do Rossio – Parte II”

  1. Túnel do Rossio - Parte I « Engenharia Civil Says:

    […] Túnel do Rossio – Parte II […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: