Igreja da Santissima Trindade – Santuário de Fátima

by

fátima igrejaApresenta-se neste post mais uma obra de engenharia de grande importância, não pelo sentido religioso, mas pelo construção em si.

A nova igreja, situada a cerca de 250 para sudeste da actual, e constituida essencialmente por um corpo cilíndrico com 125 m de diâmetro e cerca de 15 de altura média, atravessado na zona central por duas vigas salientes de grande altura, em betão branco, que dão suporte á cobertura. A nordeste situam-se, em cave, zonas de capelas, foyer, instalações sanitárias, confessionários e respectivas áreas técnicas principais da nova igreja, bem como as zonas de apoio aos serviços religiosos. (clique para ler o resto)

Fundações/Escavações

As sondagens efectuadas revelam uma maciço heterogéneo, obrigando à execução de várias soluções de fundação: fundações directas no maciço rochoso, fundações indirectas (estacas) e enchimentos sob sapatas até à cota do maciço rochoso, na transição entre as duas zonas. Devido ao aparecimento de cavernas, foram ainda executadas estacas com encamisamento metálico perdido. Para além dos métodos tradicionais de escavação foi necessário recorrer em algumas situações a desmonte com recursos a explosivos e a entivações provisórias ancoradas.

Igreja

A estrutura principal da Igreja é constituida por uma parede periférica circular de betão armado e um par de vigas de betão armado pré-esforçado, diametrais e segundo o seu eixo principal; nestes elementos apoia-se a cobertura metálica, em shed, formando dois semi-círculos simétricos independentes.

A parede, isolada termicamente e revestida a pedra, for concebida sem juntas de dilatação. Nesse sentido, foi estudado um faseamento construtivo que, em conjunto com o efeito (favorável) da sua geometria curva, minimiza as consequências não só das acções térmicas como de retracção do betão. Para além de disposições relativas aos betões (retracção controlada e armaduras de controlo de fissuração), impuseram-se bandas intercalares de betonagem em 2ª fase, permitindo a dissipação de uma parcela muito significativa desses efeitos durante a fase inicial da construção sem consequências apreciáveis para a estrutura como um todo.

Os elementos verticais da shed são executados como vigas metálicas. de perfis laminados, com 4.45 m de altura total, dispostas perpendicularmente às vigas centrais atrás referidas e apoiadas igualmente nas paredes do cilindro de betão, apresentando, por isso, vão variáveis (com um máximo de 55 m). Toda a estrutura metálica assenta sobre apoios elásticos, que permitem uma dissipação importante de energia sísmica e libertam a estrutura de constrangimentos para as acções do tipo térmico.

O banzo inferior de cada viga (traccionado) é ligado ao banzo superior (comprimido) de uma das vigas que lhe são adjacente, por meio de vigas inclinadas de contraventamento, que também suportam as lajes alveolares da cobertura. Nas lajes da cobertura pretende-se, por um lado, alguma massa por razões acústicas e, por outro, aligeiramento para não sobrecarregar a estrutura, tendo-se optado pela utilização de lajes alveolares pré-fabricadas e pré-esforçadas.

As vigas de betão branco, armado pré-esforçado, têm um comprimento total de 180 m, um vão central de 90 m e são solidarizadas entre si por intermédio de uma laje e um conjunto de septos do mesmo material, alinhados com as vigas metálicas da cobertura a que dão apoio. Os efeitos acumulados das variações de temperatura com a retracção de betão, associados à muita elevada rigidez das paredes de apoio no plano das vigas, levou a que se adoptassem juntas horizontais nos apoios extremos, sendo os esforços verticais transmitidos por intermédio de dispositivos adequados capazes de permitir deslocamentos longitudinais e rotações.

A elevada durabilidade pretendida para o edifício, levou a que fossem adoptados critérios de verificação mais exigentes do que os habitualmente considerados, com destaque para as condições de serviço das secções de betão e consequente significativo nível de pré-esforço.

Capelas, Foyers e Zonas Técnicas

Estas zonas são constituídas em cave, sendo a cobertura na continuidade do pavimento do recinto existente. Os elementos verticais são realizados com paredes de betão armado. As de contorno funcionam como muros de suporte das terras adjacentes e das lajes. As lajes são maciças ou pré-fabricadas tipo TT (com vãos entre 9 m e 20 m). Tal como na igreja, foram adoptadas um betão e um faseamento térmico da face superior, permitindo que estes corpos fossem executando de forma monolítica, evitando-se juntas e dispositivos de apoio que exigiriam cuidados de inspecção e manutenção.

Os números

  • Área de Construção: 38 673 m²
  • Betão Cinzento (C25/30): 34 965 m³
  • Aço A400 NR: 4 907 ton
  • Moldes (betão cinzento): 121 400 m²
  • Contenção periférica: 1 700 m²
  • Estrutura metálica (Aço FE510C): 950 ton
  • Betão Branco (C35/45): 6.371 m³
  • Aço Pré-esforço (fpuk>= 1860 MPa): 151 ton
  • Moldes (betão branco): 24.100 m²

Outros Números

  • 8633 – capacidade total da igreja (3175 + 5458),incluindo 76 lugares para pessoas com deficiência
  • 9 – projectos arquitectónicos apresentados para a nova igreja
  • 7,5 – metros de altura do crucifixo de bronze esculpido pela irlandesa Catherine Green, suspenso sobre o altar
  • 13 – número total de portas, numa referência aos dias 13, das Aparições da Nossa Senhora
  • 25 – idiomas utilizados nos painéis de vidro colocados na porta principal
  • 500 – metros quadrados da área do mural em ouro e terracota, colocado atrás do altar
  • 130 000 – metros cúbicos de volume total da igreja
  • 15 – metros de altura média do edifício
  • 5 – quilómetros de estacas utilizadas
  • 70 000 000 – de Euros, custo total estimado da obra pagos a pronto
  • 64 – metros quadrados, área total da porta de entrada
  • 3 – capelas da Reconciliação, que servirão também para outras celebrações
  • 64 – gabinetes/confessionários, para peregrinos portugueses e estrangeiros
  • 120 – lugares para acólitos no presbitério da igreja
  • 12 315 – metros quadrados, área da cobertura
  • 1476 – metros quadrados de área do espaço de convívio e reunião para peregrinos, debaixo da igreja
  • 125 – metros de diâmetro na zona da Assembleia
  • 3075 – trabalhadores registados
  • 296 – empresas envolvidas nos trabalhos
  • 3500 – quilos de cada porta de entrada.

Mais informações:

  • Autor do Projecto: Architecture Designer Meletitiki – Arq. A. N. Tombazis and associates Architects, Lda. /Paula Santos Arquitectos, Lda.
  • Construtor: Somague Engenharia ,S.A.
  • Fonte: Texto transcrito da Revista “Engenharia e Vida”; GPBE – Revista do Grupo Português de Betão Estrutural

 

Anúncios

7 Respostas to “Igreja da Santissima Trindade – Santuário de Fátima”

  1. Igreja da Santíssima trindade - Fátima « Teknomatika Says:

    […] Sobre a igreja: Maqueta; Sobre a obra: Link […]

  2. Sara_Ramos Says:

    Aki está uma obra que a meu ver reflecte bastante ostentação, tendo em conta principalmente os votos defendidos por esta instituição… mas religiosidade à parte… é uma obra de uma envergadura tremenda, digna de registo… E não tinha ideia de montes de informação que aqui foi postada… se bem k aço, betão, moldes, etc… n são mt o meu forte… fico-me mais pelos grandes números associados a estes…

    P.S.: Como é possível… uma matemática a comentar num blog de engenheiros…. lool

  3. A Igreja da Santississíssima Trindade « a mansarda Says:

    […] · No Comments Considerações ideológica à parte, é um edifício imponente (detalhes aqui, maqueta ali), e com uma estética […]

  4. Nuno Conde Says:

    Para verem e saberem mais desta obra:A nova igreja de fátima em animação:

    http://www.rr.pt/InformacaoDetalhe.Aspx?AreaId=11&ContentId=221873#

    Nuno Conde

  5. Jacinto Sepúlveda Says:

    muito bom link esse. Gostei dos pormenores que tinha lá com os Airbus e com os campos de futebol. 😉

  6. Angelo Fernando Ferreira de Sousa Says:

    A Igreja da Santíssima Trindade em Fátima, é uma obra digna de ser vista, quer pelo seu cariz religioso, como pela sua arquitectura.

  7. antonio candido monteiro Says:

    EU PERGUNTO:DE QUEM É AESCULTURA DE CRISTO NO INTERIOR DA IGREJA?E QUEM AUTORIZOU A SUA COLOCAÇÃO NA IGREJA?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: